Alma de Jardineira

domingo, setembro 18, 2011

ao vento contínuo de Deus

(...)
Nas vagas recordações
a orla de uma alegria que ninguém viu

os insignificantes flutuam
ao vento contínuo de Deus
(...)
José Tolentino Mendonça
in "A noite abre meus olhos"

2 Comments:

  • Tão lindo...abraço de luz.
    Nelio PN

    By Anonymous Anónimo, at 3:56 da tarde  

  • Mais um abraço... reparei na ausência. Maria Papoila

    By Anonymous Anónimo, at 8:11 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home