Alma de Jardineira

sábado, outubro 30, 2010

o que não daria eu pela memória


(...)
O que não daria eu pela memória
De que tu me dissesses que me amavas
E de não ter dormido até à aurora,
Dissoluto e feliz.

Jorge Luis Borges, in "A Moeda de Ferro"

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home