Alma de Jardineira

domingo, agosto 01, 2010

O nome parece a infância

O nome parece a infância.
Quando na velhice é termos vindo
Sem pressa

Para dentro
Do nome se esvazia o corpo quando o corpo cai
É um fruto.

O nome é ainda
O modo como chamas.

O nome é a arma contra mim. O maior perigo.
Com os teus lábios podes destruir-me.

Daniel Faria

1 Comments:

  • Querida amiga e conterrânea.
    Há muito que ando arredado destas bandas.
    Parecem-me e, se não estou em erro, Cardos. Será?
    Pois então se assim forem, deixo aqui este meu fraco versejar.

    Podem ser Cardos senhora
    Essa flor com espinhos
    Podem gerar dores onde mora
    Mas certas aves fazem seus ninhos
    Com seus ramos em sua flora

    Nascem perto das estevas
    Nascem perto ou longe de nós
    Nascem sempre como vós
    Nascem em lugares daninhos
    Nascem morrem e não nos levas

    Gostamos de nascer e viver
    Ao luar e ao relento
    As paisagens dão-nos alento
    E se alguém nos entender
    Por aqui ficamos até morrer

    Gostamos de ser assim mesmo
    Adoramos nossas cores
    Somos como os nossos amores
    Que com sorrisos a esmos
    Suportamos nossas dores

    Deixem-nos ficar onde estamos
    Não pisem os nossos caules
    Gostamos de aqui ficar gostamos
    Não se sirvam de nossos talos
    Gostamos de ficar onde amamos.

    Desejo um bom fim de semana sem espinhos.

    By Blogger Espaço do João, at 10:58 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home