Alma de Jardineira

sexta-feira, janeiro 15, 2010

este rumor tão leve

(...)
Que diremos ainda? Serão palavras,
isto que aflora nos lábios?
Palavras, este rumor tão leve
que ouvimos o dia desprender-se?
Palavras, ou luz ainda?
(...)

Eugénio de Andrade

2 Comments:

  • Lília,

    Não posso deixar de dizer - lhe o quanto temos de comum! Também sou madeirense, adoro poesia e, como a Lília, Pessoa, Eugénio de Andrade, Torga,Herbert Helder,Ramos Rosa, Sophia e tantos outros acompanham - me sempre.E até no amor às flores e frutos. Gostei do seu poema às pitangas. Plantei uma sebe de pitangueiras, na minha casa de Óbidos e sempre que surge um fruto fotografo.Penso que um dia trocaremos impressões. Não sei porquê, mas parece -me que tivémos a mesma profissão...

    By Blogger Beatriz, at 6:03 da tarde  

  • E quem melhor que Eugénio de Andrade, para descrever palavras tão sábias em poesia? Fernando Pessoa, não desgosto, mas Eugénio de Andrade é da minha preferência.Pelo comentário supra, tenho a dizer que as minhas pitangueiras este ano devem dar pitangas em quantidade, pois estão cobertas de flor.

    By Blogger Espaço do João, at 9:42 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home