Alma de Jardineira

sábado, setembro 26, 2009

um rasto de lágrima acesa

O que eu sei é que mesmo no sono
há um rumor que não dorme,
um jeito da luz pousar, um rasto
de lágrima acesa.

É sobre o meu corpo que chove.

Eugénio de Andrade

1 Comments:

  • Bonitas fotografias e bonitos poemas, Lília, parabéns.

    By Blogger Gi, at 9:08 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home