Alma de Jardineira

domingo, setembro 27, 2009

todo o azul da manhã

Quer voz lunar insinua
o que não pode ter voz?

Que rosto entorna na noite
todo o azul da manhã?

Que beijo de oiro procura
uns lábios de brisa e água?

Que branca mão devagar
quebra os ramos do silêncio?


Eugénio de Andrade

3 Comments:

  • Pitangas, que saudades...

    By Blogger Gi, at 8:07 da tarde  

  • Lindos versos. Agora, quem nunca provou essas frutinhas aí, não sabe o que está perdendo.
    abraços,
    Edilza

    By Anonymous Anónimo, at 1:36 da tarde  

  • As minhas já se foram. Adoro Pitangas e, tenho duas Pitangueiras no meu quintal.

    By Blogger Espaço do João, at 9:05 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home