Alma de Jardineira

quinta-feira, junho 18, 2009

o fio com que teces os dias sem memória

(....)
Que música escutas tão atentamente
que não dás por mim?
Que bosque, ou rio, ou mar?
Ou é dentro de ti
que tudo canta ainda?

Queria falar contigo,
dizer-te apenas que estou aqui,
mas tenho medo,
medo que toda a música cesse
e tu não possas mais olhar as rosas.
Medo de quebrar o fio
com que teces os dias sem memória.

(...)

Eugénio de Andrade

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home