Alma de Jardineira

terça-feira, março 10, 2009

o som da música e mais nada


Que seja o fim. Que Deus escreva agora um zero
Defronte do meu nome. E fique, então, cerrada
A porta... Mas se ainda perguntar se quero
Alguma coisa mais? Só música e mais nada.

Que interessa o que vai por esse mundo? As mansas
Nuvens corram no céu da minha vida, e fechem
Por completo o horizonte, e seja o fim, mas deixem
Ouvir, ouvir o riso de oiro das crianças;

E ver, e ver poisar, aos bandos, nos beirais
As pombas, ou riscar violentamente o espaço
Uma andorinha. Assim, que mais eu quero? O abraço
Que alguém me der será... será talvez demais;

E ver, e ver ainda abrir-se lá nos frisos
De vasos uma outra delicada flor.
O arco-íris também... Aves e flores, risos
De crianças... E sons de música ao redor.

Fechado guardarei comigo a sete chaves
O efémero da vida... o que traz a alvorada
E a noite depois leva... Risos, flores, aves,
O arco-íris, o som da música e mais nada.

Cabral do Nascimento
(in "Fábulas", s.d.,Portugália Editora,Lisboa)

1 Comments:

  • Gosto do teu blog, tanto pelas imagens como pela poesia. Os recantos que encontras parecem janelas para outro mundo, obrigada pela partilha :)! Bjs *****

    By Blogger Lemniscata, at 4:50 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home