Alma de Jardineira

terça-feira, fevereiro 17, 2009

LA CASA DEL SILENCIO



LA CASA dei silencio

se yergue en un rincón de la montaña,

con el capuz de tejas carcomido.

Y parece tan dócil

que apenas se conmueve con el ruido

de algún árbol cercano, donde sueña

el amoroso conclave de un nido.


Tal vez nadie la habita

ni la quiere,

y acaso nunca la vivieron hombres;

pero su lento corazón palpita

con profundo latir de resignado,

cuando el rumor la hiere

y la sangra dei trémulo costado.


Imagino, en la casa dei silencio,

un patio luminoso, decorado

por la hierba que roe las canales

y un muro despintado

ai caer de las lluvias torrenciales.


Y en las noches azules,

la pienso conturbada si adivina

um balbucir de luz en sus escaños,

y la oigo verter con un ruido

ya casi imperceptible, contenido,

sul loro paternal de tres mil años.

JOSÉ GOROSTIZA (1925)

1 Comments:

  • Querida conterrânea.
    Já vai muito tempo que não te visito. Por esse motivo peço perdão. Fiquei espantado ao abrir teu espaço e deparar-me com um texto em Espalhol. Logo me veio ao pensamento, então ela não está na Madeira. Espero uma visita jáque não te visitei. Um grande abraço do João.

    By Blogger Espaço do João, at 9:14 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home