Alma de Jardineira

sábado, julho 26, 2008

O que me dói



O que me dói não é
O que há no coração
Mas essas coisas lindas
Que nunca existirão...


São as formas sem forma
Que passam sem que a dor
As possa conhecer
Ou as sonhar o amor.


São como se a tristeza
Fosse árvore e, uma a uma,
Caíssem suas folhas
Entre o vestígio e a bruma.


Fernando Pessoa, 5-9-1933

4 Comments:

  • Me curvo com respeito e devoção perante este aóma poético tão inebriante1...

    By Blogger rouxinol de Bernardim, at 5:59 da tarde  

  • Me cruvo com respeito e devoção perante este aroma poético tão inebriante!

    Sinceramente merece um Óscar!!!

    By Blogger rouxinol de Bernardim, at 6:02 da tarde  

  • Este é um daqueles que eu queria ter escrito, se fosse grande como o Fernando.

    By Blogger Dalva Maria Ferreira, at 11:28 da tarde  

  • Se Fernando Pessoa vivesse nos dias de hoje certamente havia de lhe doer não só o coração como também a alma. O mal superou o bem , os senhores da guerra , não fazem poemas, a miséria instalada no mundo actual, era diferente dos tempos do Fernando. Eu sempre afirmei depois de conhecer o mundo, que os poetas são sonhadores. Eu não sou poeta, mas também sonho sabendo de antemão que os meus sonhos são irrealistas. Sonho com a Paz no mundo, sonho com a exterminação da miséria, sonho com a liberdade sem libertinagem, enfim! Sonho, sonhando que sonho.

    By Blogger Espaço do João, at 7:48 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home