Alma de Jardineira

quinta-feira, junho 19, 2008

Janela

Chego-me à janela e não há
Janela. Não há
E eu. Então. Contento-me
alegro-me

com a janela aberta dos meus olhos

Sobre o mundo onde sempre cantarão pássaros ao entardecer

3 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home