Alma de Jardineira

segunda-feira, março 10, 2008

Revelação

Meu o ofício incerto das palavras
a evocação do tempo
o recurso ao fogo

Meu o provisório olhar
sobre este rio
o fascínio consentido das margens
sitiando a distância

Meus são os dedos que em tumulto
modelam capitéis
de sombras e arestas

Mas oculto na brisa
és Tu quem percorre o poema
despertando as aves
e dando nome aos peixes

José Tolentino Mendonça
in "Os dias contados"

1 Comments:

  • Olá Lilia.
    Desconhecia que gostavas assim tanto do Porto. A postagem da ponte da Arrábida está mesmo a calhar. Sabes uma coisa? Conheci pessoalmente seu autor. O grande Engº.Edgar Cardoso, já falecido. Tive o grato prazer de visitar seu estúdio de trabalho. Despertou-me grande entusiasmo por obras de engenharia. Homem simples e sem rodeios. Sabias que é da autoria dele o projecto do aeroporto de Santa Catarina no Funchal? Homem de cabeça grande e alma modesta. Seu nome está espalhado desde a Europa à Asia, Africa, Europa e América. A Ponte de S. João no Porto teve também o seu condão. Portugal não sabe reconhecer seus filhos importantes. Amo o meu Portugal mas, reconheço suas falhas. Beijos fraternos João.

    By Blogger Espaço do João, at 9:12 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home