Alma de Jardineira

sexta-feira, janeiro 25, 2008

Espera

Horas, horas sem fim,
pesadas, fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.

Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.

Eugénio de Andrade

1 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home